NOTÍCIAS

O Reino de Deus deve ser estabelecido com firmeza 15 de Março de 2019
O Reino de Deus deve ser estabelecido com firmeza | Missão Cristã Elim

Pregação do Pr. Lúcio Mauro Silva Lima, na noite do dia 1º de março

A noite do primeiro dia contou com a ministração do pastor Lúcio Mauro Silva Lima, líder das igrejas da Missão Cristã Elim em Manaus/AM. A tônica da pregação foi a firmeza que o cristão deve ter para que o reino de Deus seja estabelecido em sua vida.

O pregador iniciou a explanação afirmando que a igreja é uma comunidade alternativa ao mundo. Ela é uma expressão do Reino de Deus. Precisa ser diferente, precisa ser vista pelo mundo de uma forma diferente. Disse que o cristão deve viver no Reino de Deus, não de acordo com o curso deste mundo. Toda vez que fazemos uma escolha que vai contra a carne, o Reino de Deus está sendo estabelecido em nossas vidas.

O texto que embasou a pregação foi o capítulo 2 do livro de 1 Reis, do versículo 10 ao 25. Nesse texto, vemos a sucessão do rei da Davi. Salomão era o décimo da fila na sucessão, mas ele era a vontade de Deus para assumir o trono no lugar de seu pai. O reinado de Salomão era a representação de um reino de paz. O reino de Cristo é um reino de paz. Todavia, seu trono estava ameaçado por inimigos que se levantavam contra ele.

O pastor advertiu os presentes que há uma ameaça constante do reino de Deus em nossas vidas. Há uma diferença entre Jesus ser confessado como Rei e Ele reinar de forma efetiva sobre nós, como Senhor de tudo. A Bíblia fala que a promessa de Deus para Davi era de que a sucessão seria um reinado firme. Assim deve ser Cristo em nossas vidas, estabelecido como Senhor. Esse é o propósito de Deus para nós, que andemos de maneira firme em Cristo Jesus. Disse também que não podemos ser oscilantes em nosso caminhar, mas temos de buscar algo diferente em Deus. Para um andar firme, é necessário conhecer e obedecer a vontade de Deus. Falou ainda que a maior benção é o Reino de Deus efetivo em nós.

Ao abordar o texto bíblico, disse que Salomão tinha alguns inimigos, entre eles Adonias, o irmão que seria o sucessor natural do trono e se autoproclamou rei. Abiatar era outro inimigo, um sacerdote que conspirava contra a vontade do Senhor. Joabe, o chefe do exército de Davi era mais um que se levantava contra o reinado de Salomão. Simei, outro adversário, o qual insultou Davi enquanto este fugia de seu filho Absalão. Eles certamente fariam qualquer coisa para derrubar o reinado de Salomão. Na ocasião, pastor Lúcio Mauro ministrou a igreja dizendo que também nós devemos estar atentos ao que se levanta contra o governo de Deus, para tirar Cristo do trono. Disse que isso tudo precisa ser tratado em nossas vidas. Salomão não se permitiu dar lado aos inimigos, porque se posicionou firmemente.

Explicou que Adonias foi um inimigo expressivo. Ele foi pedir a mão de umas das concubinas do rei. Isso significava ser candidato ao reinado. Foi uma estratégia para tomar o reino. Salomão então mandou matar Adonias, pois percebeu o perigo que representava para seu reinado. Adonias representa a carne, a natureza caída que herdamos do pecado. Um inimigo natural de cada um de nós. Assim como Salomão teve muitos inimigos que ficaram no reino, nossa carne também tem inimigos que são mantidos, que insistem em viver dentro de nós. A atitude deve ser a mesma de Salomão, exterminar a carne, ou manteremos o Reino em constante ameaça em nossas vidas. Da mesma forma, temos de ser intolerantes com o pecado nas nossas vidas. O pastor alertou que o pecado nos separa de Deus. Por isso, deve ser executado, morto na nossa carne. É imprescindível que sejamos radicais contra o pecado. Disse que atitudes radicais podem nos tornar incompreendidos diante dos homens, mas que nosso posicionamento deve ser firme e inegociável. Os inimigos são implacáveis, sorrateiros, astutos. As áreas da nossa carne que não estão sujeitas ao governo de Cristo nunca se satisfarão. A nossa carne é rancorosa, deseja voltar a reinar de qualquer maneira.

O pregador completou dizendo que o evangelho é perda, e a nossa carne não se conforma, mas busca uma compensação, quer encontrar brechas, satisfazer-se com pequenos deleites. Disse que ela sempre quer uma recompensa pelo que abriu mão. Mas que Deus espera que tudo em nós esteja sujeito ao governo de Cristo. Também alertou aos presentes de que nossos inimigos não se dobram ao governo de Deus, por isso precisam ser eliminados. Todas as áreas da nossa vida precisam ser tratadas. Não há exceções. Disse que somos uma expressão do Reino de Deus, portanto essa luta se dá dentro de nós.

A pregação seguiu dizendo que os inimigos estão sempre à espreita, buscando usurpar o trono. Salomão posicionou-se firmemente porque sabia onde seus inimigos iriam chegar. O pastor chamou a atenção dos ouvintes dizendo que nossa carne não sabe do potencial dos nossos inimigos, mas Cristo sabe. E que buscamos, na carne, ser éticos com o pecado, mas Cristo nos faz antiéticos em relação ao pecado. Disse também que a carne está pronta para voltar à cena, ela é ressentida, sempre está esperando a menor brecha para tomar o lugar. Desta forma, o pastor falou que a proposta contra o pecado deve ser radical, para que o governo de Cristo seja pleno. Se insistimos no pecado, rejeitamos o governo de Deus em nossas vidas. O reino de Deus e o pecado são completamente antagônicos. No mundo tudo é relativo, mas no Reino de Deus há princípios firmemente estabelecidos.

Para concluir a pregação, o pastor orientou os fiéis dizendo que, para lutar contra os inimigos, devemos fazer crescer o homem espiritual. Este deve ser fortalecido, devidamente alimentado, se tornando um valente em nós. E que, para isso, é necessário estarmos cheios do Espírito Santo. “Quando matamos a carne, Deus é glorificado em nossas vidas. Precisamos amar o Senhor mais do que a nós mesmos, para matarmos a nossa carne. Pagarmos o preço que custar, porque um dia seremos recompensados na Glória!”, finalizou pastor Lúcio Mauro.

COMPARTILHE: